Sexta-feira, 29 de Maio de 2009

Viver num sonho

Se a vida fosse como num sonho, onde pudéssemos escolher o desenvolver dos acontecimentos, como seria maravilhosa a nossa realidade!
Era fantástico podermos entrar num outro mundo, um mundo paralelo! Viver experiências sem fim, algumas das quais que nunca imaginaríamos sequer que pudessem acontecer. Um mundo imaginário e fantástico onde tudo seria possível, onde não haveria barreiras e o limite seria a imensidão da nossa alma 

Por vezes entro nesse mundo para tentar abstrair-me deste onde vivemos, onde poucas vezes as coisas correspondem ao por nós desejado. Mas como os sonhos nunca são eternos, há sempre qualquer coisa a puxar-nos de volta à realidade e esta pode ser tão dura... 
Como seria se, pelo menos uma vez, pudéssemos deixar-nos ao abandono nesse outro mundo, no mundo dos nossos sonhos, da nossa alma, naquele que só nós mesmos conhecemos e não mostramos a ninguém?
publicado por daplanicie às 12:11

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Quinta-feira, 21 de Maio de 2009

Isto é AMIZADE!

Hoje não quero falar de perdas, de pessoas que caminharam ao nosso lado e que, por um motivo ou por outro, abandonaram as nossas vidas e, ao seguirem o seu rumo, deixaram saudade e um pedaço da sua alma dentro na nossa alma.

Hoje não quero falar de mágoas. De quem me fez chorar, de quem me decepcionou, de quem me fez sentir um nada.

Hoje quero falar de ternura, de compreensão, de entrega, de cumplicidade...enfim, de AMIZADE!

Porque ter um amigo é isso. É lembrança terna. É marca profunda. É magia eterna. Ter amigos é fundamental pois a amizade é a mais voluntária e generosa das formas de amor. Na amizade não há posse, apenas o desejo de ver o outro feliz. Na amizade floresce a cumplicidade e aquela sensação incrível de saber que temos alguém com quem podemos contar, com quem podemos dividir angústias e tristezas, segredos e alegrias.

Com um amigo sentimo-nos rejuvenescer, sentimo-nos como se não houvesse nada no mundo que não possa ser resolvido com a palavra certa. Evocamos lembranças, falamos de nós, rimos, brincamos, ficamos sérias. Porque é isso a amizade.

Amigo é quem passa na nossa vida e, ao invés de apenas passar, consegue descobrir a chave do nosso coração, abrir a porta, entrar e instalar-se lá dentro. E ficar lá para sempre.

Amigos deixam marcas na nossa vida, são como o arco-íris que se vê durante uma tempestade. São como um sopro de ternura no nosso coração.

É compartilhar segredos, emoções. É compreensão, é diversão, é contar com esse alguém sempre que precisarmos. É termo-nos uns aos outros, é eternidade porque a amizade é isso. É simplesmente amar, é um eterno recomeçar...É felicidade!

É por tudo isto que te digo: OBRIGADA POR SERES MINHA AMIGA!

 

tags:
publicado por daplanicie às 10:06

link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
|
Terça-feira, 19 de Maio de 2009

"Ganda" Homem!!

Aqui está o que escreveu um colunista do DN, que desagradou ao nosso Excelentíssimo Primeiro Ministro de tal forma que o levou a processá-lo. Como se um processo pudesse apagar a verdade do que elas representam...

 

 

JOSÉ SÓCRATES, O CRISTO DA POLÍTICA PORTUGUESA

 

 

 

http://dn.sapo.pt/inicio/interior.aspx?content_id=1173560

Ver José Sócrates apelar à moral na política é tão convincente quanto a defesa da monogamia por parte de Cicciolina. A intervenção do secretário-geral do PS na abertura do congresso do passado fim-de-semana, onde se auto-investiu de grande paladino da "decência na nossa vida democrática", ultrapassa todos os limites da cara de pau. A sua licenciatura manhosa, os projectos duvidosos de engenharia na Guarda, o caso Freeport, o apartamento de luxo comprado a metade do preço e o também cada vez mais estranho caso Cova da Beira não fazem necessariamente do primeiro-ministro um homem culpado aos olhos da justiça. Mas convidam a um mínimo de decoro e recato em matérias de moral.
José Sócrates, no entanto, preferiu a fuga para a frente, lançando-se numa diatribe contra directores de jornais e televisões, com o argumento de que "quem escolhe é o povo porque em democracia o povo é quem mais ordena". Detenhamo-nos um pouco na maravilha deste raciocínio: reparem como nele os planos do exercício do poder e do escrutínio desse exercício são intencionalmente confundidos pelo primeiro-ministro, como se a eleição de um governante servisse para aferir inocências e o voto fornecesse uma inabalável imunidade contra todas as suspeitas. É a tese Fátima Felgueiras e Valentim Loureiro - se o povo vota em mim, que autoridade tem a justiça e a comunicação social para andarem para aí a apontar o dedo? Sócrates escolheu bem os seus amigos.
Partindo invariavelmente da premissa de que todas as notícias negativas que são escritas sobre a sua excelentíssima pessoa não passam de uma campanha negra - feitas as contas, já vamos em cinco: licenciatura, projectos, Freeport, apartamento e Cova da Beira -, José Sócrates foi mais longe: "Não podemos consentir que a democracia se torne o terreno propício para as campanhas negras." Reparem bem: não podemos "consentir". O que pretende então ele fazer para corrigir esse terrível defeito da nossa democracia? Pôr a justiça sob a sua nobre protecção? Acomodar o procurador-geral da República nos aposentos de São Bento? Devolver Pedro Silva Pereira à redacção da TVI?
À medida que se sente mais e mais acossado, José Sócrates está a ultrapassar todos os limites. Numa coisa estamos de acordo: ele tem vergonha da democracia portuguesa por ser "terreno propício para as campanhas negras"; eu tenho vergonha da democracia portuguesa por ter à frente dos seus destinos um homem sem o menor respeito por aquilo que são os pilares essenciais de um regime democrático. Como político e como primeiro-ministro, não faltarão qualidades a José Sócrates. Como democrata, percebe-se agora porque gosta tanto de Hugo Chávez.

 

João Miguel Tavares
publicado a 2009-03-03 às 00:00

 

publicado por daplanicie às 17:59

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sexta-feira, 8 de Maio de 2009

Breves instantes

Vivemos neste espaço que fica entre a terra e o céu. Mas nem sempre estamos no mesmo lugar. Ainda bem. Às vezes estamos mais perto da terra, outras mais perto do céu. E, dependendo do lugar onde estamos, assim vamos sentindo o mundo à nossa volta.

Há momentos em que sinto que vivo junto à terra. E vivo feliz. Calma, tranquilamente, sentindo a segurança de cada passo que dou. Olho para trás e vejo as marcas da caminhada, segura.

De vez em quando olho para o céu, sinto o seu apelo, mas são breves instantes a sonhar com um vôo em direcção a uma plenitude que apenas posso vislumbrar. Toda aquela imensidão azul me leva a sonhar com um mundo perfeito, onde tudo seja exactamente como deveria ser. São breves instantes...

publicado por daplanicie às 08:39

link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|
Quinta-feira, 7 de Maio de 2009

Falar demais

Esta sensação aparece-me por vezes. Uma sensação de que caminho em círculos e que, por isso, não caminho verdadeiramente. Há situações que se repetem na nossa vida, por mais que reflictamos sobre elas e concluamos que não é esse o melhor caminho a seguir.

Por vezes, dou por mim a analisar determinadas situações em que de alguma forma estou envolvida e concluo que devo agir desta ou daquela maneira, mas, a verdade é que, quando surge uma nova oportunidade, acabo por fazer exactamente o contrário do que me propus.

Normalmente, acho que falo de mais e me excedo. Acho que já foi mais assim, pois a idade talvez (talvez, não estou convencida) nos ilumine um pouco. Esforço-me por me recordar que nunca ninguém perdeu por ficar calado mas que muita gente já deitou tudo a perder por falar demais. Mas, mesmo assim, há momentos em que, se pudesse, correria atrás das palavras lançadas, as recolheria e tentaria de novo empurrá-las para o sítio de onde saíram.

publicado por daplanicie às 09:26

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quarta-feira, 6 de Maio de 2009

Decepção

O dia começou bem cedo e teima em não querer terminar. É difícil habituar o corpo e a mente ao turbilhão que constitui o meu dia-a-dia. Muitas vezes penso que podia ser mais calmo e, se calhar podia, se eu abrandasse um pouco. No entanto, acho difícil mudar. Faz parte da minha personalidade esta forma de estar, feita de entrega a projectos, ideias, iniciativas e sobretudo...a pessoas. Estar com as pessoas é uma prioridade.

Adoro descobrir o que cada pessoa tem de bom, o que posso aprender com cada uma delas e, acima de tudo, em que posso eu contribuir para melhorar a sua vida.

Só concebo a vida assim, vivida em pleno e partilhada com quem me rodeia. Mas são tantas as vezes em que me decepciono! 

Detesto o egoísmo que nos isola dos outros e faz de cada um uma ilha! Abomino a falsidade que faz com que as palavras não correspondam aos sentimentos que se ocultam, no intuito do proveito próprio! Odeio o "lambebotismo" que grassa no nosso país onde cada um apenas se preocupa consigo próprio e com o seu proveito. As meias palavras,  com que anda meio mundo a tentar enganar o outro meio.

Quem me dera que, nem que fosse apenas durante um dia, todas as pessoas do mundo fossem obrigadas a dizer aos outros o que realmente pensam...

tags:
publicado por daplanicie às 14:53

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Terça-feira, 5 de Maio de 2009

Caso Freeport

 

 

 

 

Tenho assistido com perplexidade a todas as notícias e entrevistas que têm tido como alvo o caso Freeport e o nosso Primeiro Ministro. Muita tinta e palavras já correram sobre este assunto e, aposto, ainda muito está para se saber. Ou talvez não...basta lembrarmo-nos do caso Casa Pia em que tudo ficou como estava e quem pagou foram apenas os mais desgraçados, porque os Senhores saíram airosamente da situação, quase como vítimas.

 

Em relação ao caso que envolve Sócrates, o caso é um pouco mais delicado. É óbvio que ninguém pode ser prejudicado nos seus direitos por exercer um cargo público. Quem exerce funções públicas tem que ter os mesmos direitos de todas as outras pessoas, embora tenha mais deveres. Acontece que José Sócrates é suspeito no caso Freeport e mantendo-se no exercício das altas funções de chefe do governo, fragiliza-se a si próprio, ao PS, e, o que é pior, empobrece a democracia.
É claro que de José Sócrates se presume a inocência, até que se prove o contrário através da Justiça. Isso é absolutamente indiscutível. Não quero o primeiro ministro condenado sem prova de culpa, mas também me parece ter o direito de não o querer eleito sem prova de que está inocente.
Independentemente das conclusões a que a Justiça um dia chegará (e para bem de todos era bom que chegasse depressa), cada um faz o seu próprio juízo por aquilo que vai conhecendo. Há uns que suspeitam do primeiro ministro e outros que não. E na apreciação que cada um faz, certamente tem em conta situações antecedentes.
Eu, como cidadã, tenho o direito de suspeitar de José Sócrates. Por um lado porque não fiquei muito convencido com as explicações dadas, quer sobre a sua licenciatura, quer sobre os projectos de engenharia que outros fizeram e ele terá assinado. Por outro lado, porque tendo ele assumido vários compromissos com os eleitores que não respeitou (não aumento dos impostos ou a equiparação das pensões dos idosos ao vencimento mínimo nacional, por exemplo), deu provas de não merecer a minha confiança.
Entendo que quem governa um país e tem a ambição de continuar deve provar que é digno de merecer essa confiança. Para que a exigência dessa confiança tenha fundamento não pode passar o tempo a vitimizar-se e deve construir um passado de grande respeitabilidade que não se compadece com as desculpas da “cabala” ou da “campanha negra”.
O caso Freeport é não apenas “jurídico” mas também “político”. E são sobretudo as consequências políticas que o primeiro ministro deveria saber desde já retirar. Recordemo-nos que por muito menos se demitiram António Vitorino e Jorge Coelho. E é também com atitudes como as que então tomaram que a Democracia se enobrece.

 

 

 

publicado por daplanicie às 18:30

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Emocionalmente Saudável

. Ano Novo, Vida Velha

. Esperar

. Aos meus amigos

. O valioso tempo dos madur...

. Filhos

. Sinto-me...

. Hoje

. Tirar o "S" da CRISE

. Chuva...chuva...chuva

.arquivos

. Janeiro 2014

. Julho 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

.tags

. todas as tags

.links

.on-line

website stats

.Contador

blogs SAPO

.subscrever feeds