Sábado, 29 de Setembro de 2007

Pensar não dói

Tenho encontrado cada vez mais frequentemente pessoas que estão a perder o hábito de pensar. Muitos são jovens que parecem ter os cérebros desligados ou no piloto automático. Chega a ser assustador. 
Tenho pensado bastante sobre este assunto que me preocupa verdadeiramente. Levamos uma vida ocupadíssima. Temos pessoas com as quais lidar... Decisões a tomar... Estratégias a desenvolver... Planos a implementar... Conflitos... Negociações... Acordos... Valores a trocar... É preciso pensar para fazer acontecer.
Fui pesquisar sobre esse acto saudável que é o pensar e encontrei algumas definições interessantes. Uma delas diz que o propósito do pensar é arranjar o mundo na nossa mente de forma a poder aplicar a emoção efectivamente. Por mais racionais que sejamos, no final, é sempre a emoção que faz as escolhas e toma as decisões.  Ao decidirmos comprar um carro, por exemplo, examinamos os dados técnicos, comparamos os atributos, choramos o preço, olhamos para a força do motor, perguntamos sobre o sistema de suspensão mas, no final, escolhemos o carro que queremos comprar pela emoção. É o desenho do carro, a sensação que ele traz, a impressão que causa, que acabam por determinar a nossa escolha. Pura emoção.
É assim também com o livro que vamos ler, a pessoa com quem vamos casar e até mesmo o fornecedor que vamos contratar. Por mais fria que seja a análise, no fundo é a emoção que faz a diferença.
É por isso que as empresas hoje em dia gastam dezenas, centenas, milhões de euros em sistemas e processos que tentar recriar aquilo que todos os bons homens de negócio sabem há muito tempo: chamar o cliente pelo nome, saber do que ele gosta, avisar quando a mercadoria certa chegou... Hoje chamam a  isto de CRM - customer relationship management , não é chique? E custa muito dinheiro... Tentam fazer com que os computadores actuem sobre a emoção das pessoas.
Não é fantástico quando chega o cartão da loja comemorando o nosso aniversário? Pois isto que é apenas um dos truques de marketing que tentam fazer com que orientemos a nossa emoção para escolher aquela empresa.
E quando não pensamos é isso mesmo que acaba por acontecer. Deixamos que vendedores competentes manipulem nossas emoções e consigam que façamos o que eles querem.
É assim que hoje elegemos políticos...
Quando começamos a pensar, a reflectir, deixamos de ser uma manada de bovinos resignados e passamos a agir como gente que tem vontades. Gente que observa, julga e toma suas escolhas conscientes. Gente que arranja o mundo em suas mentes para aplicar a emoção de forma efectiva . Pensemos nisto.

publicado por daplanicie às 11:31

link do post | comentar | favorito
|
10 comentários:
De A VER NAVIOS a 29 de Setembro de 2007 às 12:09
Eu sabia que tinhamos muitos e graves defeitos de funcionamento.
Este post alerta-nos para os mesmos, a possibilita-nos que estejamos com mais atenção quanto as situações se nos deparem.
Mas não é fácil.
Afinal, os defeitos estão cá, não é assim?
Bom fim de semana.
J. Lopes
De daplanicie a 29 de Setembro de 2007 às 17:32
Os defeitos fazem parte de cada um de nós juntamente com as qualidades e é essa mistura que nos torna únicos e inigualáveis.
Bom fim de semana
De Nettwerk van Helsing a 29 de Setembro de 2007 às 14:24
Hmm, pode parecer um bocadinho estranho, mas um dos meus grandes problemas é pensar demasiado. Em tudo, constantemente, estar a medir os prós e contras de toda a pequena coisinha que aparece à frente... às vezes, dá jeito ser impulsivo. Não pode ser só passar a vida a, lá está, pesar todos os prós e contas e seguir o caminho que se nos apresente com mais prós... há que ser impulsivo, muita vez, não deixar que se nos transformemos em máquinas.
Hmm... bom, acho que era isto. Cumprimentos.
De daplanicie a 29 de Setembro de 2007 às 17:30
Penso que também "sofro" do mesmo mal que é pensar demais. Sei que quem pensa pouco é mais feliz mas...está nos genes, não consigo mudar! Nem sei se quereria se isso fosse possível. Gosto pouco de "carneiradas".
Cumprimentos
De Nettwerk van Helsing a 30 de Setembro de 2007 às 17:01
Bem se diz: "ignorância é felicidade".

Cumprimentos.
De raio a 29 de Setembro de 2007 às 14:32
... bem ao abrir o teu blog somos confrontados com abertura de janelas pop-up nada agradáveis... quanto ao assunto que aqui tratas posso acrescentar que o factro de não se pensar ´~ao é coisa recente tem por trás toda uma cultura e uma politica que leva a que isso aconteça ... antes era o regime totalitário ... agora é todo um conjunto de marketing que dispara em todas as direcçõe e que leva a que cada um tente arranjar quem pense por ele ...
SAudações
Raio do Blogue TRovoada Seca
De daplanicie a 29 de Setembro de 2007 às 17:29
Obrigada pelo teu comentário. Quanto ao que dizes sobre o meu blog, já és a segunda pessoa que me diz isso. Penso que se deve ao contador que tinha instalado, que agora retirei. Poderias por favor dizer-me se continua a acontecer o mesmo? Obrigada pela ajuda
De dolce_vita a 29 de Setembro de 2007 às 19:26
Boa tarde
Um assunto sempre pertinente,apesar de tudo quero acreditar que se começa a pensar e reflectir mais,(sonhadora),que já somos muitos e que nos encaixamos no último parágrafo do texto e deixamos de ser uma manada.
O ser humano sempre teve dificuldade em gerir as emoções,é também uma cultura colectiva.Ou será genética?
Um assunto para pensar
Um abraço
Rosa
De estoriasdaminhaterra a 30 de Setembro de 2007 às 15:35
É por essas e por outras que eu gostava imenso de falar com a nossa Ministra da educação e chegar-lhe às emoções... Depois no caso de se portar como um cliente de 1ª até podia ponderar mandar-lhe um cartãozinho de boas festas... Agora a sério, por acaso já tinha lido sobre o assunto, e tive inclusive uma cadeira no secundário ( design/marketing) que nos ensinava uns truques nessa área... Quanto ao pensar, sabendo o que sei prefiro continuar a não pensar no assunto sob pena de me sentir mais estúpida que o costume cada vez que aquela loja fantástica me manda um catálogo com a nova colecção obrigando-me inconscientemente a pelo menos ir lá " cuscar" e claro cair na esparrela... Por vezes é triste pensarmos e chegarmos à conclusão que somos comidinhos de cebolada... Talvez seja melhor não pensar ( de vez em quando eheheh e continuar a aceitar esta eminencia parda a que subtilmente chamam, técnicas de marketing)...
De guiga a 1 de Outubro de 2007 às 15:00
Adorei este post!
Sim, porque me fez pensar AINDA MAIS - loool - e porque tem a ver com a minha área. Sou licenciada em comunicação, variante de Relações Públicas e, no curso, aprendemos a dividir as pessoas por público-alvo, que pretendemos convencer a ter determinada opção, ou determinada opinião. E aí sim, lidamos com as emoções de cada público.
E tens razão, quanto mais convivo com os jovens de hoje, mais me assusto, mais vontade tenho em afastar-me deles e mais chego à conclusão de que, se tiver filhos, terão de ser diferentes. Pessoas mais realistas, mais criativas, mais pensadoras. Ai serão, serão! looool

Boa semana!
Beijinhos! *.*

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Emocionalmente Saudável

. Ano Novo, Vida Velha

. Esperar

. Aos meus amigos

. O valioso tempo dos madur...

. Filhos

. Sinto-me...

. Hoje

. Tirar o "S" da CRISE

. Chuva...chuva...chuva

.arquivos

. Janeiro 2014

. Julho 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

.tags

. todas as tags

.links

.on-line

website stats

.Contador

blogs SAPO

.subscrever feeds