Quarta-feira, 27 de Fevereiro de 2008

Queridos Pais

Visitei os meus pais no passado fim de semana. Embora me custe este constante "andar com a tralha às costas" é sempre bom estar na casa que ainda considero minha e onde cada objecto está ligado a alguma história que recordo com carinho.

Estava a conversar com a minha mãe, as duas sentadas à lareira a "pôr a escrita em dia" e, durante uma das infindáveis novidades que sempre tem para me contar, dei por mim a olhá-la com olhos de ver. E reparei, talvez pela primeira vez, que a minha querida mãe está a envelhecer. Os anos vão passando e, embora por vezes não nos apercebamos, vão deixando a sua marca.

Dessa constatação, passei a pensar no meu pai, outrora tão forte e activo e agora também já um pouco vergado pela idade e pelas maleitas que vão aparecendo.

A minha mãe ia continuando a sua dissertação e eu ia acenando com a cabeça, dando sinais de a estar a ouvir atentamente, mas isso não podia ser menos verdade. Pensava na sua força, sempre presente quando era necessário, em todas as decisões acertadas que tomei seguindo os seus conselhos, em todas as vezes que ela me enxugou as lágrimas e me assegurou que tudo ia passar e que o sol ia brilhar novamente. E no meu pai, reservado, mas em quem um simples olhar diz mais do que mil palavras.

E senti uma tristeza profunda quando o pensamento de que não os terei junto de mim até ao final dos meus dias ( caso a natureza siga o seu rumo natural, claro!) me encheu a mente e sei que não estou preparada para a chegada desse dia. Sei que nunca vou estar preparada para a chegada desse dia que, espero, venha a acontecer apenas daqui a muitos anos. Não consigo (nem quero) imaginar a minha vida sem a sua presença.

Parece ridículo mas foi subitamente que tomei consciência de que os meus queridos pais não são imortais como eu desejaria e, à abalada de regresso a casa, o abraço que lhes dei foi ainda mais apertado do que o costume.

tags:
publicado por daplanicie às 08:00

link do post | comentar | favorito
|
11 comentários:
De Pérola a 27 de Fevereiro de 2008 às 15:38
Acho que nunca estamos preparados para perder quem mais amamos. Mas, infelizmente, nada é eterno e nós também não. No entanto, é bom darmos valor a quem temos a nosso lado, a quem nos estende a mão sempre que precisamos. E aqui, ou noutra vida, levaremos uma certeza: o amor dos pais é incondicional e pode mesmo ser imortal... Vai connosco até onde formos...
Beijinho
De daplanicie a 27 de Fevereiro de 2008 às 20:52
Sem dúvida nenhuma que a ligação de pais e filhos é uma coisa sem igual. Sei-o das duas posições e é o que nos faz ultrapassar muitos momentos maus na nossa vida.
Beijinho
De TiBéu ( Isa) a 27 de Fevereiro de 2008 às 15:43
Ups... fiquei com a lagrima no olho, nem tenho palavras, dá-lhes muito carinho, eu já não tenho os meus e doi TANTO. Não consigo escrever mais. Bj amigo
De daplanicie a 27 de Fevereiro de 2008 às 20:55
Nem consigo imaginar o sofrimento que deves ter passado! E espero não o saber por longos anos!
Beijinho grande amiga
De guiga a 27 de Fevereiro de 2008 às 16:14
Deixaste-me com lágrimas nos olhos... Assim não vale.
Eu também sinto muito a falta dos meus pais e é por essa razão, pelo passar dos anos, pelo envelhecimento que acompanharei apenas de longe, que me dói esta distância física!
Mas, o amor é eterno!
Beijos *.*
De daplanicie a 27 de Fevereiro de 2008 às 20:56
Também tenho vivido longe dos meus toda a vida e é uma coisa muito triste! São opções que somos forçados a tomar mas que nos marcam a vida.
Beijinhos
De sAndRa a 27 de Fevereiro de 2008 às 17:06
Sabemos que a morte faz parte do ciclo da vida, acontece todos os dias. so que nunca pensamos que pode acontecer aos nossos pais, as pessoas que amamos. Nem consigo pensar nisso. Acho que nunca estarei preparada. Como tu nao estaras, nao penses nisso, é melhor.

beijus
De daplanicie a 27 de Fevereiro de 2008 às 20:57
Eu bem tento afastar estes pensamentos mas por vezes não consigo!
Beijinho
De Infiel a 27 de Fevereiro de 2008 às 21:06
a morte é o que de mais certo temos
lindo o teu post, quantas vezes olhamos sem ver???

Um abraço
De daplanicie a 27 de Fevereiro de 2008 às 21:40
Muito obrigada pela visita e pelo comentário!
Cumprimentos
De José a 28 de Fevereiro de 2008 às 18:39
Cara "claridade",
Este seu post me fez ver a "Luz" (mais uma vez).
Sem dúvida que me induziu a inserir um outro,
ao meu género, que, sem ser totalmente da minha
lavra, transcende o meu querer e o meu ser, através
de poemas, imagens, sons, que se conjugam para a
satisfação pessoal e bons momentos emocionais.
De novo, bem haja.

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Emocionalmente Saudável

. Ano Novo, Vida Velha

. Esperar

. Aos meus amigos

. O valioso tempo dos madur...

. Filhos

. Sinto-me...

. Hoje

. Tirar o "S" da CRISE

. Chuva...chuva...chuva

.arquivos

. Janeiro 2014

. Julho 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

.tags

. todas as tags

.links

.on-line

website stats

.Contador

blogs SAPO

.subscrever feeds