Quinta-feira, 17 de Abril de 2008

Hábitos de leitura

Desde sempre adorei ler! Aprendi a ler com 4 anos e, desde então, nunca mais parei. Com 7 ou 8 anos lia livros "sem bonecos", como dizia a minha avó, de colecções que ainda hoje recordo com saudade.

As personagens das aventuras dos cinco e dos  sete, as gémeas no colégio de Santa Clara e outros já mais sérios como o Diário de Anne Frank foram a minha companhia durante muitos dias e noites em que, começando a ler um livro, era incapaz de o largar sem o ter terminado.

Quantas e quantas noites passei eu toda tapada com os cobertores,  com o candeeiro dentro da cama, para a minha mãe não ver a luz e lia até terminar o livro, indo no dia seguinte para a escola, muitas vezes, com apenas três ou quatro horas de sono.

Tentei sempre habituar os meus filhos à leitura e houve sempre dezenas de livros nas suas estantes embora não tenha sido muito bem sucedida. Pelo menos não tanto como eu esperava.

Aos meus alunos faço o mesmo. Mesmo quando ainda não se falava em Plano Nacional de Leitura, já eu tinha sempre uma biblioteca na sala, construída com livros que, tanto eu como os alunos, levávamos. Sempre incentivei a leitura porque me parece uma forma maravilhosa de passar o tempo, de conhecer novas gentes e novas paragens sem sair do conforto da nossa casa. Com a leitura desenvolvemos tantos aspectos da nossa personalidade que nem os conseguiria nomear a todos. O acto de ler está presente a cada segundo da nossa vida embora nem sempre nos apercebamos pois fazemo-lo de forma automática.

Diariamente, temos duas actividades na sala que são muito do agrado dos alunos: a leitura orientada e o momento da leitura.

Na leitura orientada, eu vou lendo diariamente livros que escolho, apropriados à faixa etária dos alunos que tenho, no final da qual faço algumas perguntinhas sobre o capítulo ou sobre a história. No final do livro, preenchem uma ficha de leitura com os aspectos mais relevantes e que mais lhes agradaram na obra.

No momento da leitura, todos os dias dois alunos, que se oferecem na sexta-feira para a leitura da próxima semana, vão ler à turma o que desejarem. Podem ser pequenos livros, histórias escritas por eles, capítulos que gostaram de um qualquer livro...A adesão tem sido tal que é uma dificuldade para escolher quem lê porque a todos parece que leu menos do que os outros que são escolhidos.

Este momento de leitura é voluntário e o objectivo é não obrigar ninguém a ler sem ter vontade e sim por gosto e tem resultado optimamente.

Apenas um aluno ainda nunca se ofereceu ao longo do ano para ler. Esta semana resolvi dar-lhe a entender que tinha notado a sua falta no momento da leitura. Perguntei-lhe discretamente se não gostava de ler. A resposta foi afirmativa. Esperei que os outros saíssem para o recreio e, sob pretexto de me ajudar a recolher umas fichas, voltei à carga. Disse-lhe como me daria prazer ouvi-lo ler à turma um livro que escolhesse. A resposta veio tímida "Não quero ler alto porque me engano muito e eles gozam comigo". Não me surpreendeu pois é um das crianças que mais dificuldades apresenta nesta área mas respondi-lhe que podia trazer um livro que conhecesse bem, que já tivesse lido muitas vezes porque assim seria mais fácil.

A resposta deixou-me incrédula. Não tinha livros porque os pais dizem que é um dinheiro mal gasto porque os livros, quando se lêem uma vez, já não prestam para nada. Será possível que ainda haja pessoas que julgam que um livro não serve para nada?!

Ler é fundamental e, assim, está explicada a dificuldade que ele tem na leitura. Se acha que os livros não servem para nada, porquê esforçar-se para decifrar o que dizem? É importantíssimo criar nos nossos filhos/alunos hábitos de leitura. É tarefa dos pais e professores fazer com que as crianças tenham, ao alcance da mão, livros de boa qualidade, de maneira que possam acostumar-se à boa literatura. Uma vez que a criança tenha desenvolvido o interesse pela leitura, é pouco provável que o perca, especialmente se tiver adquirido desde cedo o hábito de ler. Embora desenvolva outros interesses e algumas vezes não tenha muito tempo para ler, cedo ou tarde a criança retomará o hábito da leitura.

É importante que os pais participem com as crianças e, principalmente, que lhes dêem o exemplo. As crianças cujos pais lêem certamente também o farão. Uma boa ideia é dar livros de presente no Natal e nos aniversários e possuir uma biblioteca aberta a todos os membros da família. Há uma grande diferença entre ler porque a leitura é obrigatória para o estudo e ler por prazer ou educação. É importante estimular a leitura na criança como uma experiência valiosa e prazerosa. Isso será uma grande fonte de satisfação tanto para as crianças quanto para os adultos que as acompanharem nesta aventura.

publicado por daplanicie às 08:34

link do post | comentar | favorito
|
17 comentários:
De letras a 17 de Abril de 2008 às 10:50
E eu sou tão feliz por os meus pais dizerem: Se há dinheiro bem gasto é o dos livros!
Temos imensos, entre enciclopedias, romances, documentos e afins...
A minha irmã mais velha oferece SEMPRE livros ao meu pai e a mim.é obrigatório.Aliás,quando não oferece ficamos aborrecidos, porque estamos a contar.
E eu adoro oferecer livros a toda a gente. Por acaso tenho andado a perder algum hábito de leitura,com tanto para fazer. Mas quando pego num livro também não largo até estar esmifradinho,eheh!

E que saudável é ler e imaginar e saber mais através de imagens que só nós construímos.

Ler o bom, o mau, o medíocre, o razoável. Mas ler!!´

Estou muito in nessa tua opinião :D
De daplanicie a 18 de Abril de 2008 às 12:32
Também é um dos meus presentes preferidos, tanto para dar como para receber. Sou capaz de passar horas a escolher um livro que me pareça ser do agrado da pessoa a quem se destina.
Beijinhos
De guiga a 17 de Abril de 2008 às 14:52
Também sempre fui incentivada a ler. O meu pai, nas férias de verão, trazia imensos livros da biblioteca, tanto para mim como para a minha irmã. Mas admito, hoje em dia não leio tanto como fazia. E fico triste comigo mesma!
Beijinhos *.*
De daplanicie a 18 de Abril de 2008 às 12:36
O que importa é ler, nem que seja a revista Maria.LOL
Beijinhos
De sandra a 17 de Abril de 2008 às 17:18
Que lhe respondes te?? quando ele disse isso dos pais?

beijinhos
De daplanicie a 18 de Abril de 2008 às 12:41
Disse-lhe que não tinha a mesma opinião e que tinha muitos livros em casa. Mas a minha vontade era dizer-lhe que os pais eram uns idiotas.
Beijinhos
De sandra a 18 de Abril de 2008 às 16:20
Cuitadinha da criança, fiquei com imensa pena dela.

beijus
De Júlia a 17 de Abril de 2008 às 18:26
Claro que ter livros em casa sempre é melhor que os não ter. Mas não é isso que pode motivar as crianças para a leitura. Eu também comprei muitos livros para os meus filhos, mas os resultados nem sempre foram os esperados.
Bj
De daplanicie a 18 de Abril de 2008 às 12:43
Pelo menos resta-nos o consolo de que fizemos tudo o que era possível. A minha filha só começou a gostar de ler já depois de adulta.O do meio nunca lê nada a não ser revistas de temas que lhe interessam. O pequenote agora lê porque tem que apresentar obras na escola e parece mais entusiasmado.
Beijinhos
De RCataluna a 17 de Abril de 2008 às 19:06
Excelente post! Só quando acabei o curso é que retomei o gosto pela leitura. Tive de ler tanta coisa sem interesse...
Tinha um professor que dizia: leiam, nem que seja A Bola ou o Record, mas leiam...
De daplanicie a 18 de Abril de 2008 às 12:48
Por acaso também digo isso muita vez, só que em vez dos jornais desportivos digo "nem que seja os folhetos do Modelo". LOL
De TiBéu ( Isa) a 17 de Abril de 2008 às 20:31
Gosto muito da forma como escreves. Gosto de ler e reler. Tenho um prémio no meu blog de( Histórias e pensamentos ) para ti. para que a nossa amizade continue. bj e voltarei
De daplanicie a 18 de Abril de 2008 às 13:03
Muito e muito obrigada pelas tuas palavras! Para que a nossa amizade continue não precisas dar-me prémios, basta seres como és, amiga.
Beijinhos e votos de bom fim de semana
De Maria a 17 de Abril de 2008 às 21:54
Hábitos de leitura eu tive além dos obrigatórios, lia ás escondidas as telenovelas brasileiras, meu tio oferecia uns livrinhos da colecção " Joaninha".
Meu marido é um devorador de livros.
Meu filho mais velho desde os 4 anos que lê, os netos um com 15 e outro com 11 leem muito, para eles a Tv fica em segundo ou terceiro lugar.
Minha sogra aos 90 anos devorava livros, infelizmente o filho mais novo quase não lê, segundo dizia o médico devia-se á falta de vista bastante acentuada, perdeu os hábitos da leitura
De daplanicie a 18 de Abril de 2008 às 13:08
Isso é fantástico, uma família de leitores! Os meus filhos não sairam muito à mãe, infelizmente. A mais velha só depois de adulta começou a ler livros "verdadeiros", o do meio ainda hoje não gostade ler a não ser umas recistas que lhe interessem e o mais novo começou agora a despertar para a leitura que achava "uma chatice".
Beijinhos
De Em Fá Sustenido a 17 de Abril de 2008 às 22:43
Increvil ! Os meus pais que tem o 4º ano e 9º de comércio e indústria , sempre me ensinaram a ler e estimam a tamanha biblioteca que tem .. De tal forma que decidiram construir uma estante para pô-los todos juntinhos fora de poeiras e afins . Confesso que quanto tinha 9 anos também começei a ler o Diário de Anne Frank . A minha mãe sempre julgou forte demais para mim , mas adorei .. É uma das melhores histórias verídicas de todos os tempos .

Continue esse empenho pois , há meninos que muito necessitam de ler .. Ler não é definitivamente um desperdicio de tempo .. Ainda hoje me divirto no comboio a ler " Sapatos de Rebuçado " da Joanne Harris .. Acho fascinante como alguém pode ter tanta imaginação .
Boa sorte na sua tarefa de professora ^^

Beijinho *
De dolce_vita a 17 de Abril de 2008 às 22:52
Amiga,como professoras,sabemos bem a importaância da leitura,dos livros e da motivação que devemos dar.O que nos escreves tem muito que reflectir,também eu lia como tu,também eu incentivei o meu filho a ler,não dando "frutos"...mas o maior obstáculo vem muitas vezes da família,embora esta,seja o reflexo de uma sociedade pouco letrada,pouco sensivel,à leitura.É recente uma cultura livresca,mas temos que ter em conta ainda o preço dos livros,mas é fundamentalmente cultural e social esta lacuna na educação.
Hoje numa das escolas onde estou tivemos a visita de uma escritora,Isabel Ricardo Amaral,enfim lá vamos fazendo alguma coisa.
Um beijinho
RS

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Emocionalmente Saudável

. Ano Novo, Vida Velha

. Esperar

. Aos meus amigos

. O valioso tempo dos madur...

. Filhos

. Sinto-me...

. Hoje

. Tirar o "S" da CRISE

. Chuva...chuva...chuva

.arquivos

. Janeiro 2014

. Julho 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

.tags

. todas as tags

.links

.on-line

website stats

.Contador

blogs SAPO

.subscrever feeds