Sexta-feira, 30 de Maio de 2008

Notícias e...noticiazinhas

Há notícias e notícias, assim como há pessoas boas e boas pessoas, pessoas de boa índole e de muito má índole, pessoas oportunistas e oportunistas disfarçados de íntegros, enfim … há de TUDO e disso não tenho dúvida!
Mas lá que as notícias se vão fazendo de algum tipo de excepcionalidades, disso também não tenho dúvida. Provavelmente até devo acrescentar que os órgãos de comunicação social são negócios (negar o ócio) como outros quaisquer.
Spots publicitários que têm de ter alguns conteúdos que chamem a atenção das pessoas e correspondam às suas expectativas sazonais ou permanentes; formas de entretenimento baratas e acessíveis. A verdade é que não acrescenta grande mal ao mundo que o que se divulgue e se torne acontecimento seja da ordem do “fait-divers”.
Faz-se em grande aquilo que nós fazemos com o nosso círculo de amigos: comentamos a vida dos outros, emitimos juízos de valor, damos conselhos com ar douto, pregamos sermões e falamos de moda, do desporto, das condições de vida, de política, do estado do tempo e de mais umas coisitas … cheios de convicções ou meramente para fazer conversa e encher incómodos espaços vazios.
Feliz ou infelizmente a vida das gentes é pejada de banalidades. Raramente acontece qualquer coisa digna de nota, raramente se experimenta acontecimentos que a sequência dos dias não devolva ao tamanho real: poucochinho.
Vai daí os coitados dos órgãos de comunicação social "esmifram-se" na descoberta do que é novo ou pelo menos diferente. Vai daí na cata da excepcionalidade improvável dimensionam-se fatias de vida, mesmo que mesquinhas e pequeninas, como se fossem parcelas imensas.
Os resultados umas vezes são interessantes, outras surpreendentes, outras tornam-se aterrorizadores, outras são quase cómicos, mas muitas vezes de um atabalhoamento aflitivo e de uma parolice divertida, do estilo da forma de estar dos Novos Ricos – fazer as coisas em grande não tanto para benefício próprio, ou por sentido estético, mas para dar nas vistas aos “vizinhos” aos “amigos” etc, etc …
A lógica implícita nisto de vender notícias, é que os consumidores têm de fazer o trabalho de casa: distinguir o trigo do joio e como adulto que se é, há que ter a capacidade crítica para perceber que o que é dito, são apenas palavras, chavões, frases, opiniões, modos de ver que valem o que valem e que são o que são.
Mas o problema é que, os que têm de repor a proporção das coisas ditas e vistas vêem-se gregos. Não fica fácil explicar por exemplo que...

Os jovens não são na sua esmagadora maioria devassos, drogados e com vidas sexuais intensas;  

Os pais que têm duas horas inteiras por dia para os filhos (depois de oito horas de trabalho, duas de transporte, sete de sono, uma de higiene pessoal, outra para comer, e mais três para todos os outros afazeres) são excelentes e esforçados porque dão o que têm;
Não se fica anoréctico por não querer ser gordo;

Gostar de crianças não torna os homens e as mulheres pedófilos e também mas agora pela negativa … nem tudo o luz é oiro, ai não não!
Mas … vai-se tentando fazer o tal jogo de cintura entre o banal e o excepcional … assim meio termo … se é que me faço entender!!

publicado por daplanicie às 08:41

link do post | comentar | favorito
|
4 comentários:
De letras a 30 de Maio de 2008 às 10:51
É jornalista, verdade?
Está a correr bem?Posso perguntar onde?
Mas eu sei bem o que é isso...eu n me posso queixar muito, porque sempre trabalhei na área da comunicação, ainda que nao tenha sido mesmo em Jornalismo!
Mas vais ver..em menos de um ano isto vai mudar!Mesmo!
De daplanicie a 30 de Maio de 2008 às 10:54
Trabalha numa empresa em Lisboa de jornalismo desportivo (Golfe). Fazem o programa golf report para a sicnotícias e um do canal 2.
Esperemos que as coisas mudem para os jovens mas, para ser franca, não estou muito confiante.
Beijinho
De guiga a 30 de Maio de 2008 às 15:31
Também não vejo boas novas por esse mundo jornalísticos. As pessoas são jornalistas porque sim, porque é giro aparecer na televisão, não porque a sua vontade seja dar a conhecer a verdade, o mundo, o que passa!
Enfim, por isso mesmo, esqueci essa área e optei por RP!
Beijos e bom fim-de-semana! *.*
De Flá a 31 de Maio de 2008 às 11:14
nos últimos anos a qualidade do jornalismo tem também vindo a diminuir, principalmente num canal de televisão...que não vou mencionar, não sou jornalista, nem estou nessa área, porém, das poucas coisas que sei sobre como fazer bom jornalismo é o nunca se dar a opinião, tenho visto demasiados jornalistas a dá-la....

gostei do jogo de cintura entre o banal e o excepcional :)

beijo bom fim-de-semana

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Emocionalmente Saudável

. Ano Novo, Vida Velha

. Esperar

. Aos meus amigos

. O valioso tempo dos madur...

. Filhos

. Sinto-me...

. Hoje

. Tirar o "S" da CRISE

. Chuva...chuva...chuva

.arquivos

. Janeiro 2014

. Julho 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

.tags

. todas as tags

.links

.on-line

website stats

.Contador

blogs SAPO

.subscrever feeds