Terça-feira, 3 de Junho de 2008

O SER e o TER

 O Ser é a base. É onde ficam o País, a Cidade, o Bairro, a Casa onde nós nascemos, o tipo de Família que nos trouxe ao mundo com Raça, Origem e categoria social e formou a sua educação, seja doméstica, formal pela escola, informal ou social e no que o espelho e a sua consciência revelam e se aceita.
O Ter é aquilo que se agregou a nós, sejam bens materiais ou a bagagem cultural, intelectual ou científica, desenvolvida a partir dos valores que acredita positivos para a sua existência. O Ter é o que nós não temos e acreditamos possuir.
O problema é que, entre o Ser e o Ter, existe o Parecer. Algumas pessoas querem parecer o que não são e o que não têm. É o mundo da aparência, do supérfluo em que uma camisa ou um vestido, por exemplo, é aceite não por sua qualidade intrínseca, mas por ostentar uma marca de alta significação para a imagem de quem usa.
Um relógio, dando outro exemplo, deveria servir apenas para ler as horas, mas pode definir uma posição social de quem, diferencialmente ostenta uma marca famosa. Falo em objectos para não caminhar na senda perigosa da essência, pois aí o terreno é movediço.
A sociedade e, por mais que não queiramos estamos nela envolvidos, cobra o Ser, o Ter e o Parecer.
O Parecer é o reflexo, a imagem que os outros têm de nós, a partir de juízos de valor falsos ou verdadeiros. É aquilo que pode ser fabricado com “marketing pessoal”e o sair de casa, para mostrar-se ou ser visto, compensa o vazio de não poder ficar consigo mesmo e gostar disso.
Algumas pessoas acreditam Ser o que os outros pensam ou dizem delas. Essas pessoas, certamente, ficam à cata do que se chama de validação. A validação, é acreditar no que o outro diz para admitir-se Ser aquilo. Não pesa, para o validado, a referência própria, aquilo que a sua essência profunda diz, mas o que lhe é soprado ou gritado no seu ouvido ou escrito a seu respeito.
Essa eterna questão entre o Ser, o Ter e o Parecer passa, talvez necessariamente, pela maior ou menor capacidade de cada um se auto-avaliar e ver a auto-estima a partir da própria consciência. Mas, descubro ter começado um assunto que não cabe em texto. Bem apropriado, seria um Ensaio ou Tese para os quais, infelizmente, faltam-me engenho, densidade e tempo.
 Ainda assim … a mim não me interessam os Rolex, os Jaguar, os Dinheiros. Quanto a mim, cada vez mais me interessa Ver o CORAÇÃO das "COISAS", e mesmo assim quanta vezes me engano! 
 Como disse Chamfort: “Há tolices bem vestidas como há tolos bem vestidos”.
 



publicado por daplanicie às 09:03

link do post | comentar | favorito
|
9 comentários:
De Pat a 3 de Junho de 2008 às 10:46
VIVÓ SOOOOOOOOLLLLLLLLLLLLLLLLLLL...E é isto!
De daplanicie a 3 de Junho de 2008 às 12:40
Olha, por causa disso vim feita fresca e solta com uma blusa leve e tenho raspado um frio desgraçado! É que o sol brilha mas ainda não aquece, bolas! E é só isto também...
De letras a 3 de Junho de 2008 às 11:45
Mas isso são tudo duvidas existenciais???...;)
De daplanicie a 3 de Junho de 2008 às 12:34
Ná, são apenas reflexões que faço do que me rodeia. :-)
Beijinho e boa semana
De guiga a 3 de Junho de 2008 às 15:21
Exactamente, isto daria uma bela de uma tese. É demais complexo para ser abordado, no seu todo, num post.
Ou então, uma bela de uma tarde passada em tertúlia! lol
Concordo com o que escreveste. Maior parte das pessoas anda com o Parecer, esquecendo por vezes o Ser, o berço! E o que acontece quando nos falta a base?! Pois...
Beijos *.*
De Pérola a 3 de Junho de 2008 às 17:58
E é isso tudo o que disseste... também tenho pensado muito nisso, no Ser e no Parecer e julgo que cheguei à conclusão que o parecer predomina... :(
Adorei o post, vou adicioná-lo aos favoritos, posso?
Humm, já está adicionado, lol...
:)
Beijo
De blogando-me1 a 3 de Junho de 2008 às 20:56
Voltei, não ainda a 100%, mas devia uma visitinha.
Bjs fofos
De Nettwerk van Helsing a 4 de Junho de 2008 às 10:47
Eu confesso que, às vezes, cometo um pecadilho e deixo-me levar pela tentação... no entanto, não tem a ver com a questão de parecer bem aos olhos dos outros: basicamente, é para eu ter mais um brinquedo para me entreter...
*faz festas no N70, que ainda cheira a novo*

Cumprimentos.
De Straycat a 4 de Junho de 2008 às 16:10
Diz a sabedoria popular:
"Vale mais sê-lo que parecê-lo,
Mas para perecê-lo e não sê-lo,
Vale mais não parecê-lo."
Infelizmente, nos dias que correm, as pessoas ligam mais ao parecer do que ao ser. Conta mais a imagem do que a essência do que somos.
Isso deixa-me muito triste...

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Emocionalmente Saudável

. Ano Novo, Vida Velha

. Esperar

. Aos meus amigos

. O valioso tempo dos madur...

. Filhos

. Sinto-me...

. Hoje

. Tirar o "S" da CRISE

. Chuva...chuva...chuva

.arquivos

. Janeiro 2014

. Julho 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

.tags

. todas as tags

.links

.on-line

website stats

.Contador

blogs SAPO

.subscrever feeds